Menu

Este site possui coleta de Cookies, os quais são necessários para seu funcionamento e para gerar uma melhor experiência ao usuário. Ao continuar navegando, você concorda com nossos “Termos de Uso” e “Política de Privacidade”.

Artigos e Notícias

Câncer de próstata: conheça a importância do diagnóstico molecular

Um dos maiores problemas de saúde que aflige homens é o câncer de próstata. Estima-se que a cada ano, 1,3 milhão de novos casos desse tipo de câncer são diagnosticados no mundo. No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 30% da população masculina é impactada pela doença. Por esse motivo, foi estabelecido o novembro Azul, mês dedicado para a conscientização da prevenção e tratamento precoce do câncer de próstata.

A próstata é uma glândula presente no sistema reprodutor masculino, localizada na frente do reto e próxima da bexiga urinária. Ela possui tamanho pequeno quando comparada a outros órgãos e estruturas do corpo, pesando em torno de 20 gramas em um homem adulto. No entanto, com o passar dos anos, a próstata pode aumentar de tamanho e gerar problemas que comprometem a qualidade de vida de homens mais velhos.

Sua função é produzir e armazenar o líquido prostático que, junto com o líquido seminal e os espermatozoides, compõem o sêmen. O líquido prostático é muito importante para o sêmen, pois contém substâncias importantes que protegem e nutrem os espermatozoides. Além disso, devido ao seu pH alcalino, o líquido prostático ajuda a neutralizar a acidez da vagina, prolongando o tempo de vida dos espermatozoides.

Afinal, o que é o câncer de próstata?

O câncer, de maneira geral, é uma doença bastante conhecida, mas que ainda gera diversas dúvidas na população. Quando pensamos nesse tipo de patologia, devemos ter em mente uma característica básica e comum a quase todas as células do corpo humano: a capacidade de se multiplicar de forma controlada, substituindo outras que já estão no fim de sua vida, fenômeno esse chamado ciclo celular. Ou seja, toda célula presente em nosso organismo irá morrer em algum momento e será substituída por outra recém-formada.

O grande problema é quando o ciclo celular, por algum motivo, apresenta falhas. Nesse cenário, as células começam a se multiplicar de forma desordenada e exagerada, perdendo o controle do ciclo. O resultado é o crescimento de uma massa celular (ou tumor) no órgão ou tecido afetado chamada neoplasia.

As neoplasias podem ser benignas ou malignas (câncer) e algumas características específicas de cada uma precisam ser observadas para diferenciá-las. Neoplasias malignas surgem a partir do crescimento desordenado de células, enquanto as benignas apresentam um crescimento mais organizado, embora excessivo. Além disso, as neoplasias malignas podem se espalhar para outras partes do corpo (metástases), afetando outros órgãos e tecidos.

No câncer de próstata a dinâmica é a mesma. Neste tipo de câncer, são as células da próstata que são afetadas, gerando um crescimento exagerado da glândula, perda de função da mesma, além de, potencialmente, poder se espalhar para outros órgãos, comprometendo todo o organismo.

Quais as causas para esse tipo de câncer?

O câncer é considerado uma doença multifatorial, ou seja, vários fatores podem influenciar o seu desenvolvimento, como a obesidade, o tabagismo e o sedentarismo. Apesar disso, cientistas continuam investigando possíveis gatilhos que possam desencadear a doença, sempre visando oferecer melhores tratamentos e prevenção.

No entanto, dois fatores exercem uma influência decisiva para o câncer de próstata: a idade e a genética. Dados epidemiológicos indicam que a prevalência da doença é significativamente maior em homens com idade acima de 50 anos. Já em homens mais jovens (inferior a 40 anos), o desenvolvimento do câncer de próstata é mais raro.

A influência de nossos genes no desenvolvimento da maioria dos cânceres não é exatamente uma novidade. Diversas pesquisas demonstram que mutações em genes específicos em nosso DNA são grandes influenciadoras no desencadeamento da doença. A grande questão é que estes genes “defeituosos” podem ser transmitidos por gerações dentro de sua família, tornado o câncer um problema de origem hereditária.

O histórico familiar configura um dos principais fatores de risco para desenvolvimento do câncer de próstata. A incidência da doença em parentes próximos, com pais e irmãos, pode aumentar até três vezes a chance de ter a doença. Além disso, estima-se que entre 5% a 10% dos casos de câncer de próstata estejam relacionados a fatores genéticos herdados, como mutações em genes que levam a uma maior suscetibilidade em desenvolver tumores.

Benefícios do diagnóstico molecular

Felizmente, cada vez mais tecnologias estão sendo desenvolvidas para garantir exames que tragam maior segurança e precisão em diagnósticos das mais diversas doenças. O Grupo Grupo Diagnose representa o que há de mais moderno e especializado no universo de diagnósticos moleculares, dispondo de painéis genéticos para variados tipos de câncer.

Os painéis genéticos são testes que conseguem detectar variações específicas no código genético associado a um maior risco de desenvolvimento de câncer de próstata hereditário. Por meio do método de sequenciamento de nova geração (NGS), o Grupo Diagnose analisa o DNA para identificar uma gama de mutações gênicas específicas. A presença de genes do tipo BRCA1, BRCA2 e PALB2, por exemplo, podem ser preditivas de uma maior predisposição ao desenvolvimento de câncer de próstata.

No entanto, vale ressaltar que a presença das variações gênicas não deve ser interpretada como uma certeza de desenvolvimento de câncer no futuro. Além disso, o exame de painel genético serve como auxiliar no diagnóstico do câncer de próstata, sendo necessária a realização de outros exames histopatológicos confirmatórios.

Os exames histopatológicos são feitos por meio de amostras obtidas por biópsia do tecido da próstata do paciente. Neste exame, o patologista analisa por meio de diferentes técnicas as alterações celulares no tecido afetado, estabelecendo o diagnóstico. Este tipo de exame também pode ser realizado no Grupo Diagnose, pois contamos com uma equipe especializada para garantir um diagnóstico preciso, com rapidez e responsabilidade.

O câncer de próstata é uma doença silenciosa!

Durante as fases iniciais, esse tipo de câncer pode não apresentar sintomas, o que torna o seu diagnóstico precoce um desafio. Por isso, a prevenção é a chave para garantir a sua saúde!

Além dos exames moleculares, esteja sempre em dia com os exames preventivos, como o exame de toque retal, que deve ser realizado anualmente após os 45 anos de idade. Assim você garante a saúde da sua próstata e uma vida longa e saudável.

Lembrete: Somente realize exames após avaliação e indicação médica.

 

Nós, do Grupo Diagnose, assumimos o compromisso de deixá-los sempre bem-informados e atualizados, trazendo conteúdos relevantes e de qualidade para você.

Referências:

Chesnut, G.T., Tin, A.L., Fleshner, K.A. et al. (2021). Estimating patient health in prostate cancer treatment counseling. Prostate Cancer Prostatic Dis. doi: 10.1038/s41391-021-00467-5

Ilic, D., Djulbegovic, M., Jung, J. H., Hwang, E. C., Zhou, Q., Cleves, A., ... & Dahm, P. (2018). Prostate cancer screening with prostate-specific antigen (PSA) test: a systematic review and meta-analysis. Bmj. doi: 10.1136/bmj.k3519

Sandhu, S., Moore, C. M., Chiong, E., Beltran, H., Bristow, R. G., & Williams, S. G. (2021). Prostate cancer. The Lancet. doi: 10.1016/s0140-6736(21)00950-8 

Compartilhe:

Outras Notícias

Todas as Notícias