Menu

Artigos e Notícias

Câncer de Rim - Laço do Mês de Março

  1. Para que servem os rins?

Os rins são órgãos em pares, com formato de feijão, responsáveis pelo equilíbrio de água e sais do corpo, além de exercer uma função importante na eliminação de substâncias metabolizadas pelo organismo (as impurezas). Além disso, têm importante função no equilíbrio fisiológico da pressão arterial, no controle de íons orgânicos e possuem atividade endócrina no controle da anemia. Para isso, cada rim é composto de um milhão de pequenas estruturas chamadas de néfrons.

  1. O que é câncer de rim?

O câncer de rim é o terceiro mais frequente do aparelho geniturinário e representa aproximadamente 3% das doenças malignas do adulto. Também podendo acometer crianças.

Existem vários tipos de câncer de rim, mas, o mais comum deles é uma consequência da transformação das células dos túbulos que formam os néfrons. Essas passam a se proliferarem de forma anormal e ganham a capacidade de invadir o órgão e até, em alguns casos, circular pelo corpo e produzir tumores em outras partes do corpo (chamado de metástase).

  1. Qual é a frequência do câncer de rim?

O câncer de rim representa 3% das doenças malignas que acometem adultos em todo o mundo.

O câncer de rim geralmente acomete indivíduos entre os 50 e 70 anos de idade, sendo duas vezes mais frequente nos homens que nas mulheres.

Idosos tabagistas do sexo masculino representam um grupo com maior risco para desenvolvimento do câncer renal.

O tipo histológico mais frequente é o carcinoma de células claras (85%).

  1. Quais são os fatores de risco para desenvolver o câncer de rim?
  • Tabagismo;
  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Obesidade;
  • História familiar da doença;
  • Insuficiência renal crônica em uso de hemodiálise;
  • Mulheres em uso de diuréticos são consideradas um grupo de risco para tumores renais;
  • Uso prolongado de analgésicos não esteroides;
  • Exposição ocupacional a agentes como asbestos, cádmio e derivados do petróleo;

Síndromes genéticas raras também aumentam o risco de desenvolver câncer de rim, por exemplo:

  • Esclerose tuberculosa ou complexo esclerose tuberculosa (TSC);
  • Doença de Von Hippel-Lindau;
  • Doença de Birt Hogg- Dubé;
  • Leiomiomatose familiar
  1. Quais são os sinais e sintomas?
  • Sangue na urina (hematúria);
  • Dor abdominal;
  • Dor lombar;
  • Massa abdominal palpável

O tumor renal possui manifestações diversas chamadas síndromes paraneoplásicas, causadas pela produção de substâncias semelhantes a hormônios e enzimas do corpo humano. As quais podem se manifestar como:

  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Alterações do fígado;
  • Elevação dos níveis cálcio sanguíneo;
  • Aumento do volume/tamanho das mamas;
  • Alterações hormonais


Síndrome de Cushing: Essa síndrome é caracterizada pelo excesso da cortisona (um dos hormônios produzidos pela glândula suprarrenal), tendo sintomas como insônia, sede e fome exagerada, pele fina, gordura depositada no rosto, atrás do pescoço e no tronco.

  1. Como é o diagnóstico do câncer de rim?

Os tumores renais, quando são assintomáticos, em geral são diagnosticados através de exames de imagem, como: ultrassonografia, tomografia ou ressonância magnética – realizadas também para outros problemas – e menos frequentemente por sintomas como dor, sangramento ou tumor palpável.

A forma mais frequente de diagnóstico são os achados incidentais em exames de rotina como a ultrassonografia (ecografia) do abdômen.

A maioria dos tumores renais, cerca de 54%, são diagnosticados em fase inicial, quando ainda estão confinados ao rim, o que aumenta as possibilidades de cura.

Cerca de 20% são localmente avançados (acometem linfonodos - gânglios regionais próximos ao rim) e 25% apresentam metástases para outros órgãos, principalmente para os pulmões, fígado e ossos.

O diagnóstico presuntivo do câncer renal é realizado através de exames de imagem como ultrassonografia abdominal, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética após suspeita clínica.

Ultrassom: O diagnóstico de ultrassom é realizado através de exames de imagem do abdômen. Na presença de nódulo ou massa renal visualizados ao ultrassom, é importante a realização de uma tomografia computadorizada. Essa técnica é bastante útil para sugerir se o tumor é maligno ou benigno.

A tomografia, além de fazer o diagnóstico da doença, é bastante útil no seu estadiamento (verificação da extensão para outros órgãos) e no planejamento da terapêutica mais adequada.

A radiografia de tórax serve para avaliar o acometimento dos pulmões, sendo que em alguns casos ela pode ser utilizada para uma avaliação mais minuciosa.

A ressonância nuclear magnética é raramente utilizada na avaliação destes tumores, e só é realizada para verificar alterações vasculares e cistos renais complexos, por exemplo.

A biópsia renal pré-operatória normalmente não é realizada, e só é necessária em situações excepcionais, a fim de se diferenciar lesões malignas de benignas, as quais não necessitariam de tratamento.

      7. Qual é o papel do patologista?

O diagnóstico histológico definitivo ocorre após a abordagem cirúrgica da lesão.

O médico patologista relata informações importantes que serão úteis para definir tratamento e prognóstico. Entre estas informações estão: processo neoplásico ou não, sendo neoplásico é benigno ou maligno, sendo maligno tipo histológico, grau histológico, tamanho do tumor, presença de necrose, que estruturas invade, margens cirúrgicas, entre outras.

Em algumas situações o exame imuno-histoquímico poderá ser necessário para auxiliar na definição do diagnóstico.

  1. Como pode ser o tratamento?

A cirurgia é a modalidade de tratamento curativo de escolha para o câncer de rim. O planejamento do tratamento depende das condições clinicas do paciente (performance status) do tamanho da lesão, da extensão da doença (estadiamento), do tipo histológico e de alguns critérios prognósticos. Dentre as opções de tratamento para a doença restrita ao rim, temos a nefrectomia parcial (aberta ou laparoscópica), a nefrectomia total ou ainda terapias ablativas focais em algumas situações.

 

Carcinoma renal de células claras, HE

 

Texto escrito pelo médico patologista do Grupo Diagnose, Dr. Isnard Elman Litvin - CRM 21366.

No mês de março as atenções estão voltadas à prevenção do câncer de rim e câncer colorretal. Clique aqui e confira a matéria sobre Câncer Colorretal.

Atenção: A informação existente neste conteúdo pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com um médico da sua confiança.

Compartilhe:

Outras Notícias

Todas as Notícias